Este espaço conjuga duas paixões: o rugby e o coleccionismo. Pretende dar a conhecer (aos poucos) a minha colecção filatélica já bastante avançada sobre o tema "rugby" e, simultaneamente, aproveitar esse pretexto para, aqui e além, opinar, divulgar e testemunhar sobre "coisas" deste desporto fantástico. Claro está que um dos objectivos é conquistar adeptos para este tipo de coleccionismo, fazendo com que se juntem a este MAUL DINÂMICO!

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

O mistério Rebelo

Era uma vez um cavaleiro de nome Rebelo que numa não muito longínqua janela de Novembro, veio de terras gaulesas para ajudar os seus pares do Condado Portucalense.

A sua prestação nas duas batalhas em que participou foi de tal forma valorosa que lhe valeu a menção de "cavaleiro da batalha" numa das ditas, por sinal contra uma horda vinda do meio do Oceano Pacífico. A verdade é que impressionou quem viu, granjeando muita simpatia junto dos lusitanos...

Sucede que após essas batalhas o cavaleiro Rebelo regressou às terras gaulesas e nunca mais dele se voltou a ouvir falar.

Será que o cavaleiro Rebelo é impedido de voltar ao Condado Portucalense pelos senhores gauleses? Será o próprio que não deseja voltar ao Condado? Serão os nobres de Portus e Cale que não desejam o regresso do valoroso cavaleiro? Terá o cavaleiro Rebelo tido alguma atitude que não foi apreciada pela nobreza nacional?

Ou voltará ele, numa tarde de nevoeiro, para salvar a pátria?

Responda quem souber pois o mistério veio para ficar...

70 anos da Federação Romena de Rugby


sábado, 25 de fevereiro de 2012

Geórgia ganha com naturalidade

A equipa nacional foi hoje derrotada em Tblissi por claros 32-7 num jogo de sentido único em que, apesar da atitude coreácea dos jogadores lusos, o domínio e a superioridade dos Lelos nunca esteve em causa.

Na realidade, a Geórgia dominou o jogo a seu belo prazer, consciente  da sua superioridade e não fosse a tenaz resistência nacional o resultado poderia ter sido mais desnivelado.

Os Lobos conseguiram aguentar o 0-0 quase até ao intervalo para onde foram a perder por apenas 7-0, mas na segunda parte o cansaço e a experiência de uma Geórgia com a sua (quase) melhor equipa acabou por desnivelar o resultado.

Portugal que esteve mal no jogo no chão e regrediu em relação aos anteriores jogos no que respeita à disputa dos alinhamentos, foi pouco mais que inofensivo no ataque, limitando-se a tentar lutar contra o ataque georgiano. Ainda assim, e já na fase de desaceleração georgiana, Portugal marcou um ensaio por Julien de Sousa Bardy e que Yannick Ricardo transformou.

Defrontados os 3 adversários teoricamente mais fortes no CEN, os Lobos preparam-se para defrontar em Coimbra no próximo dia 10 de Março a nova Espanha e concluirá a competição em Odessa frente à Ucrânia.

Roménia contra Holanda em 2001


quarta-feira, 22 de fevereiro de 2012

Operação Lelos


Os convocados pela equipa técnica nacional para o difícil jogo em Tblissi são:

Avançados:
José Leal da Costa
Juan Murré
João Mateus
Jorge Segurado
Mike Tadjer
David Penalva
Rui D’Orey
Gonçalo Uva (Cap.)
David dos Reis
Vasco Uva
Luís Sousa
Julien de Sousa Bardy

3/4s:
Francisco Pinto de Magalhães
Pedro Leal
Yannick Ricardo
Carl Murray
Bernardo Silveira
Francisco Appleton
José Lima
Adérito Esteves
António Aguilar
Joseph Gardener

terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

domingo, 19 de fevereiro de 2012

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

Spanghero


quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Preocupante

Apesar das evidentes melhorias na equipa nacional, a verdade é que em vários dos últimos jogos a que assisti a equipa "morre na praia". Habitualmente disputamos os jogos até ao fim, mas acabamos por cometer erros que a este nível são punidos imediatamente. Têm sido raros os jogos que tenho visto em que diga dos adversários: "Pronto, eles são superiores! Hoje não temos hipóteses".

Senti isso em Março passado, em Madrid, mas encarei o facto como um dia verdadeiramente mau dos Lobos. Mas ao ver que a Espanha, depois de nos vencer (e bem) em Madrid, venceu ontem a Geórgia que, na minha opinião é a uma equipa de nível superior às restantes que disputam o CEN temo que possamos estar a perder terreno. Não sei se os georgianos se apresentaram na máxima força, mas parece-me que a Espanha (com sua opção pela armada "francesa") está em franca progressão.

Portugal está competitivo e mais forte (mais uma vez teve ontem excelentes momentos), mas continua a falhar; há algo que continua a faltar, um pormenor de concentração, uma falta absurda, uma opção táctica errada, uma falta a oferecer mais 3 pontos ao adversário...

A qualificação para o próximo Mundial começa para o ano. Georgianos, russos e romenos têm, como habitualmente, legítimas expectativas de qualificação; os espanhóis parecem cada vez mais um adversário a tomar em conta seriamente. Não haverá lugar para falhanços ou para o "estivemos quase lá".

Não há ninguém que o queira mais dos que os jogadores e técnicos. A eles de corrigir estes erros e criar os automatismos que ainda faltam à equipa.

Mas estou preocupado com estas falhas...

sábado, 11 de fevereiro de 2012

Frustrado

Nem sei bem o que dizer...não percebo como é que Portugal conseguiu perder este jogo.

Para a história fica a vitória da Rússia por apenas um ponto (33-32), quatro ensaios de Portugal e uma série de erros que comprometeram uma vitória que chegou a parecer evidente...

Estou desconsolado...

Deixar de lado...

...as divergências e remarmos todos para o mesmo lado. Só assim ficaremos mais fortes.

Hoje temos um jogo muito importante que nos poderá dar um alento suplementar para os próximos tempos e um empurrão no ranking IRB.

Escolhas são escolhas e nunca podem agradar a toda a gente. A vida é assim...

Hoje somos todos Lobos, hoje somos todos Portugal...uma matilha unida à volta de um objectivo comum...FORÇA PORTUGAL!

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

"É pra ganhar!"

Como já vem sendo habitual os serviços de imprensa da FPR divulgaram informação sobre o jogo de amanhã contra a Rússia e colocaram à disposição declarações de alguns dos intervenientes em jeito de lançamento do jogo. São essas declarações que aqui reproduzimos, com os necessários agradecimentos à FPR.

“É para ganhar” foi o grito de ordem dado pelos três representantes portugueses que estiveram esta manhã, no Complexo de Piscina do Estádio Nacional, a fazer o lançamento do encontro entre Portugal e a Rússia, marcado para as 15h00 do próximo sábado, dia 11 de Fevereiro, no Campo de Honra do Jamor.

Carlos Amado da Silva, Presidente da FPR, admite ter muitas expectativas nesta competição: “O Torneio das Nações é uma competição extremamente importante e estamos cheios de esperança e expectativas. Queremos demonstrar no sábado aquilo que já começámos a fazer em Bucareste. Portugal dá o seu melhor em qualquer jogo, cada vez que está em campo. O Rugby português está muito bem.”

O dirigente máximo da Federação frisa ainda o estatuto crescente dos “Lobos”, apelando à presença de todos no estádio, bem como ao seu espírito solidário: “Temos rejeitado torneios internacionais por sobreposição de datas, coisa que nunca antes havia acontecido. Apelo a toda a gente que venha ver o jogo. Vamos trocar bilhetes por bens alimentares para a Instituição Novo Futuro. Vamos ajudar quem precisa. Façam-no pelo bom espectáculo do Rugby.” - conclui Amando da Silva.

Errol Brain, Seleccionador Nacional, chama atenção para o potencial da selecção russa, mas não tem dúvidas daquilo que os “Lobos” são capazes: “Os jogadores e a equipa técnica estão muito entusiasmados com o jogo em casa. Trabalhámos muito e estamos a sentir-nos muito confiantes. É um privilégio jogar neste campo com óptimas condições. O nosso objectivo é fazer um bom jogo de Rugby e dar o melhor. A Rússia tem uma óptima equipa, sabemos que vai ser difícil, mas vamos dar o nosso melhor” – elogia o neo-zelandês.

“Vamos fazer aquilo para que treinámos e, se isso for suficiente, vamos conseguir o resultado pretendido. A semana passada não fizemos um jogo brilhante, cometemos alguns erros, perdemos o ritmo e o controlo no jogo. Apesar de tudo o que os jogadores fizeram e como jogaram, para mim foi incrível. No final fiquei desapontado, todos nós ficámos, mas não por não termos tentado, mas porque falhámos em alguns detalhes. Para o jogo de sábado sabemos o que temos de melhorar e estamos com uma atitude positiva” – alerta o seleccionador.

Gonçalo Uva, Capitão da Selecção, elogia o regresso do torneio a um palco tão especial como o Jamor: “O facto deste jogo ser em casa, no Estádio Nacional, é um orgulho. Voltar a trazer o torneio para o Jamor é uma honra, poder capitanear a equipa nestas condições é uma honra ainda maior. A responsabilidade aumenta quando jogamos em casa, porque a equipa adversária vem para tentar acumular o máximo de pontos possíveis, mas estamos confiantes. Vamos corrigir aquilo que foi mal feito na Roménia, vamos estar mais atentos aos pequenos detalhes. Confiança é o espírito da equipa” – realça o capitão.

Julien Bardy, jogador da Selecção Nacional, que representa actualmente os franceses do Clermont, vai receber o prémio de JOGADOR DO ANO 2011.

Para o jogo entre Portugal e a Rússia, os bilhetes para as bancadas do Campo de Honra do Estádio Nacional terão uma componente de solidariedade. Com a acção “Lobos Solidários”, os espectadores podem trocar um bem alimentar essencial por um ingresso e um cachecol (com o apoio da Caixa Geral de Depósito) para assistirem ao encontro. Através do donativo de um litro de leite ou um quilo de arroz, por exemplo, que os “Lobos” vão entregar à Associação Novo Futuro, os espectadores têm acesso livre às bancadas trocando o bem doado por um convite nas bilheteiras do Estádio Nacional.

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

domingo, 5 de fevereiro de 2012

Lobos preparam-se para "atacar" os Ursos

A FPR já divulgou a lista de jogadores que durante esta semana vão estar a preparar o jogo contra a Rússia que terá lugar no próximo fim de semana no Estádio Universitário de Lisboa.

Eles são:
os Avançados
Michael Dias (CDUL)
José Leal Da Costa (Agronomia)
Joao Junior (CDUL)
Jorge Segurado (Direito)
João Mateus (Académica)
Cristian Spachuk (Bourgoin)
Juan Murre (St.Etienne)
Francisco Fernandes (Béziers)
Duarte Foro (CDUL)
Vasco Marques (CDUL)
Mike Tadjer (Massy)
Rui D’Orey (Direito)
Gonçalo Uva (Direito)
Duarte Gil (CDUL)
David Penalva (Montauban)
Joao Paiva (Agronomia)
Vasco Uva (Direito)
Luis Sousa (Direito)
Salvador Vassalo (Cascais)
Julien Bardy (Clermont)
Juan Severino (Santboiana)
e os 3/4s
Francisco Pinto Magalhães (CDUL)
José Pinto (Direito)
Yannick Ricardo (Castanet)
Nuno Penha E Costa (CDUL)
Carl Murray (CDUL)
Bernardo Silveira (CDUL)
Frederico Oliveira (CDUL)
Byron Goodfrey (Rotherham)
Aderito Esteves (Direito)
Goncalo Foro (CDUL)
José Lima (Agronomia)
António Aguilar (Direito)

Nota-se o regresso aos trabalhos dos Lobos de uma matilha vinda de França (Juan Murré, Christian Spachuck e Francisco Fernandes) que deverá ajudar a elevar o nível da nossa primeira linha, bem como de José Pinto e a estreia do desconhecido Byron Goodfrey. Por seu turno, a equipa técnica nacional não contará com Pedro Leal para preparar o jogo contra os Ursos.

sábado, 4 de fevereiro de 2012

Portugal derrotado em Bucareste (7-15)

Apesar de uma boa atitude combativa e de ter estado bem na 1ª parte (apesar de ter sofrido um ensaio muito consentido), uma 2ª parte menos conseguida (ou talvez bem melhor da parte dos romenos) em que os Lobos estiveram quase todo o tempo no seu meio campo, Portugal saiu hoje derrotado de um relvado (?) impróprio para consumo no único jogo da 1ª jornada do CEN que não foi adiado devido às condições climatéricas. O porquê, talvez alguém saiba explicar...eu não.

A verdade é que com a penalidade transformada nos momentos finais do jogo, os romenos retiraram a Portugal a possibilidade de somar um ponto de bónus defensivo, transformando esta viagem gelada a Bucareste numa desilusão em termos de resultado.

Mas o jogo mostrou apesar de tudo,uma 1ª linha melhor do que se esperava enquanto aguentou e revelou um Mike Tadjer Barbosa como uma agradável surpresa para o lugar de talonador, com várias boas introduções nos alinhamentos, um sector onde sempre temos estado deficitários.

No seu geral, a linha de avançados foi muito brava mas os 3/4s raramente conseguiram entrar no jogo, daí os destaques serem para homens como Barbosa, o inevitáveis Bardy e Uva, Severino ou David dos Reis (boa surpresa também).

Por outro lado, a estreia de Yannick Ricardo, esperada com expectativa por força dos vários comentários positivos em relação a este jogador, não confirmou o que dele se dizia. Esperamos que tenha sido apenas um mau dia e que no futuro este jogador nos venha a dar muitas alegrias.

Com 7 pontos marcados, fruto de um ensaio de António Aguilar transformado por Pedro Leal, Portugal pode ainda queixar-se das 2 ou 3 (não tenho a certeza) penalidades falhadas que nos poderiam ter dado a vitória. Mas isso agora é passado e é necessário começar, desde já, a preparar a recepção aos Ursos que na sua última visita a Lisboa ganharam um jogo que viria a mostrar-se decisivo para a qualificação para o Campeonato do Mundo de 2011.

Será que teremos reforços para a 1ª linha?

Não quero terminar sem mandar especiais cumprimentos para os portugueses que estavam no estádio de bandeira na mão, a suportar o frio intenso para apoiar os Lobos.

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Alea jacta est...


Daqui a menos de 24h já saberemos se Portugal entrou com o pé direito ou com o pé esquerdo na segunda metade do CEN 2011-2012.

Os Lobos têm uma deslocação muito difícil a Bucareste onde defrontarão os Carvalhos no Estádio do Arco do Triunfo. A questão que se põe é se o jogo terá lugar num ringue de patinagem com uma decoração em tons de verde ou num relvado.

Atendendo às condições climatéricas que têm atingido a Europa Central (aqui no Luxemburgo estivemos hoje com -12°) e mesmo considerando a melhoria provável das condições para amanhã, pergunta-mo-nos por que razão o jogo não foi adiado à semelhança, aliás, do que sucedeu com o Ucrânia - Geórgia.

Não compreendo o interesse de manter a todo o custo um jogo com temperaturas tão baixas, com as consequentes dificuldades respiratórias, num relvado (?) que poderá provocar lesões se continuar gelado e num estádio que terá, certamente, pouco público. Adiante...

A equipa nacional, seleccionada e treinada pela dupla Brain/Sousa, entendeu escalar os seguintes jogadores:
1- João Júnior
2- Mike Tadjer
3- Jorge Segurado
4- David dos Reis
5- Gonçalo Uva
6- Vasco Uva
7- Julien Bardy
8- Juan Severino
9- Pedro Leal
10- Yannick Ricardo
11- Bernardo Silveira
12- Carl Murray
13- Frederico Oliveira
14- Adérito Esteves
15- António Aguilar

16- Vasco Marques
17- Joao Mateus
18- José Leal da Costa
19- Rui D'Orey
20- Luis Sousa
21- Francisco Pinto Magalhães
22- José Lima

Por motivos vários, dos quais não temos conhecimento oficial, mas que não devem fugir muito das razões habituais (lesões, castigos, recusas de clubes franceses em libertar jogadores e desinteresse de outros), a convocatória tem algumas novidades em relação ao que é habitual, particularmente no que respeita à 1ª linha.

Assim, contamos com João Júnior como o mais experiente dos seis 1ª linha da convocatória (18 caps); se somarmos as presenças de todos os restantes 5 chegamos apenas às 12, sendo que para 3 de entre eles se tratará de uma estreia.

As estreias são sempre de saudar e é com prazer que vejo João Mateus (Académica) e Vasco Marques (CDUP) neste grupo de 22, como representantes dos jogadores de fora de Lisboa. Como tenho defendido, o futuro do rugby português passa, também, pela descentralização e pelo aparecimento (e manutenção) de bons jogadores e equipas fora de Lisboa.

Pergunto-me, todavia, se a equipa técnica nacional não estará a arriscar demasiado tendo em conta o poderio dos avançados romenos, claramente o seu ponto mais forte. A veterania, a experiência e a força dos romenos pode fazer muita mossa.

Ficaremos sem saber as razões da não presença na equipa de jogadores como Francisco Fernandes, Lionel Campergue ou Christian Spachuk para estas posições. Ao que consta, Antony Alves estará lesionado bem como Béco (um jogador muito útil). O mistério à volta de Emmanuel Rebelo continua...

Atendendo a que a nossa selecção tem poucas possibilidades de vencer o CEN e para o ano começar a qualificação para o Mundial de 2015, será que estas escolhas fazem parte de uma estratégia para dar rodagem a uma nova geração?

Por outro lado, a equipa continuará a contar com a as presenças habituais dos irmãos Uva, Pedro Leal, Adérito Esteves, Juan Severino, Antonio Aguilar ou Gonçalo Foro. Para não falar do indispensável Julien Bardy.

Completam a convocatória jogadores que chegaram mais recentemente à toca dos Lobos, como Zé Lima, Kiko Pinto de Magalhães, Luís Sousa, Bernardo Silveira ou Carl Murray.

Uma grande curiosidade será ver como se sairá Yannick Ricardo nesta sua estreia com a camisola nacional, depois de tanta polémica à sua volta.

Os dados estão lançados. A al-qateia esteve quase a garantir uma viagem a Bucareste, mas a dúvida sobre a realização do jogo levou ao cancelamento dos planos originais. Todavia, e como sempre, os lobos do Luxemburgo estarão a uivar pela equipa nacional.

Deste cantinho um pouco português (20% da população), desejamos as maiores felicidades, toda a sorte do mundo e todo o empenhamento e vontades necessárias, não só para este jogo, mas para toda a campanha.

Até breve.

PS - Transmissão em directo na SportTv2 às 13h (12h de Portugal )

All Blacks em Tour da África do Sul em 1976


quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012