Este espaço conjuga duas paixões: o rugby e o coleccionismo. Pretende dar a conhecer (aos poucos) a minha colecção filatélica já bastante avançada sobre o tema "rugby" e, simultaneamente, aproveitar esse pretexto para, aqui e além, opinar, divulgar e testemunhar sobre "coisas" deste desporto fantástico. Claro está que um dos objectivos é conquistar adeptos para este tipo de coleccionismo, fazendo com que se juntem a este MAUL DINÂMICO!

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

sábado, 25 de dezembro de 2010

2010 despede-se...bem vindo 2011 - hora de balanço

O ano está a chegar ao fim e é hora dos habituais balanços. O Join the Maul propõe dividir o seu balanço entre os pontos positivos (os +) e os negativos (os -) no que respeita a 2010.

Assim,
comecemos pelos +:

- Grupo Desportivo do
Direito: os advogados foram campeões nacionais, não só em seniores como em todas as outras categorias, exceptuando os sub-21 em que foram finalistas vencidos. Os resultados falam por si e são prova suficiente da excelência que mora em Monsanto;

-
Académica: os estudantes foram campeões nacionais de Sevens, campeões europeus universitários da mesma variante e assumem-se como os outsiders do Campeonato Super Bock. Quando toda a gente dizia que o campeonato seria disputado por 4 equipas, os conimbricenses chegam à ultima jornada da fase regular com possibilidades de se qualificarem para a final four. Pode até não ser este ano, mas a verdade é que não deixam de ser a surpresa do campeonato;

-
Vitória sobre a Namíbia: a primeira da história, numa janela de Novembro em que Portugal esteve a um bom nível;

- Selecção Nacional de
Sevens: quer se queira, quer não, com adversários mais ou menos difíceis e com outras estórias pelo meio, Portugal recuperou o título europeu de Sevens e sagrou-se campeão mundial universitário;

- Pedro Leal: sem os pontapés certeiros (e não só) de
Pipoca, o Direito não teria chegado sequer à final do Campeonato; se a isto juntarmos a sua disponibilidade nas selecções nacionais (XV e Sevens), o convite para integrar os Samurais num dos torneios britânicos de Sevens e o seu quase ingresso no Perpignan, não podemos deixar de destacar a excelente época deste raçudo jogador do Direito;

- Selecção Nacional de
Sevens Feminina: as meninas de Portugal melhoraram imenso o seu nível de jogo e os resultados desta época estão lá para o provar;

-
Portugal Youth Festival: na sua segunda edição, esta excelente iniciativa da Move Sports já conquistou um lugar ao sol;

- Equipa Feminina do Walferdange: as
"rennertes" estão a fazer uma época incrível, contando com uma derrota e 6 vitórias, seguindo na liderança da 2ª divisão belga. Serão as miúdas a mostrar aos rapazes o caminho para o desenvolvimento do rugby no Grão-Ducado?

-
Al-qateia do Luxemburgo: um ano em grande, que dificilmente se repetirá. Presente nos jogos dos Lobos na Alemanha, em Espanha e em Lisboa contra a Geórgia e Namíbia, bem como nos Torneios de Londres e Edimburgo dos Circuito Mundial de Sevens e ainda no Europeu de Sub-19, disputado na Bélgica.

Por outro lado, não podemos deixar de mencionar
os - do ano:

- Inevitavelmente, começamos pela
não qualificação dos Lobos para o Mundial do ano que se vai iniciar: apesar do record de pontos face à Alemanha ou de um jogo muito conseguido em Espanha, a verdade é que a qualificação ficou marcada desde logo pela derrota face à Rússia em Lisboa, ainda em 2009. Portugal não se mostrou capaz de derrotar as poderosas linhas avançadas georgianas, romenas e russas.

- Os
últimos minutos do Portugal - Canadá: Portugal tinha tudo para vencer aquele jogo, mas temos o hábito de falhar qualquer coisa nos momentos decisivos;

- As prestações dos
Sevens nacionais no Circuito Mundial da variante: já la vai mais de um ano desde que Portugal conseguiu marcar pontos para o circuito. Apesar de alguns bons resultados pontuais (como face aos ingleses no Dubai), a verdade é que em 2010 Portugal não se conseguiu aproximar das equipas mais fortes;

- A
má educação e a falta de civismo a que se tem assistido nos campos de rugby nacionais: em vários foruns de discute a falta de ética que vem reinando no nosso rugby. Se o mau comportamento do público já é algo de grave, o que dizer quando são os próprios intervenientes no jogo que se permitem interferir de qualquer modo no desenrolar dos jogos; Decididamente, as pessoas têm de perceber que ganhar a todo o custo não faz parte da enciclopédia do rugby.

- O triste espectáculo do
degladiar de duas facções como resultado das ultimas eleições para a Federação: não é bom para ninguém e muito menos para a modalidade, o lavra de roupa suja a que se assiste com frequência um pouco por todo o lado no que a esta matéria diz respeito. A frase "United we stand, divided we fall" faz todo o sentido para quem quer ver o rugby português evoluir no bom sentido;

- A
falta de interesse que uma parte substancial dos clubes de topo do rugby nacional devotam as competições nacionais de Sevens;

- A total
falta de educação e princípios de algumas pessoas que se escondem no anonimato para de uma forma cobarde lançar suspeitas, falsos testemunhos, afirmações ordinárias e todo o tipo de "torpedos" contra quem, mal ou bem, tenta dar um contributo positivo para a discussão;

- O
futuro do rugby no Luxemburgo está longe de ser risonho: apesar do trabalho das escolas e de alguns resultados interessantes nos escalões de formação, como trabalhar num país que vê sair os jovens jogadores para estudarem em universidades estrangeiras e nunca mais cá voltarem?

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

quarta-feira, 22 de dezembro de 2010

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Final da Amlin Cup

Chegou-me às mãos um bilhete da final da Amlin Cup da temporada passada.

Como, para além de filatelista, guardo tudo quanto é papel que possa ser interessante, fiquei com ele e aqui o "partilho" convosco.


France Telecom, parceira do Perpignan em 1998

sábado, 18 de dezembro de 2010

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

O valor da (boa) informação

Há uns tempos que andava para fazer um post sobre a oportunidade de algumas informações que são publicadas no site da Federação.

Para que os interessados possam ter conhecimento de certas actividades (possivelmente notificadas aos clubes por outros meios), não me parece razoável que situações como a seguinte possam suceder.

No dia 10 de Dezembro, o site da Federação publica na secção de destaques um texto sobre o projecto “Força 8” que me parece ser algo de inovador e de muito interesse para o desenvolvimento de um dos aspectos em que o nosso rugby tem de melhorar.

Diz-se nesse texto que “A FPR organiza, amanhã, dia 11 de Dezembro no Estádio Nacional o 1º curso sobre formação ordenada denominada FORÇA 8.” Mais abaixo e depois de fazer uma descrição da actividade e dos formadores, indica-se o modo de pagamento da inscrição por transferência bancária (o que, atendendo a que a informação é publicada na véspera da actividade, parece ser uma brincadeira).

Mas o mais extraordinário vem a seguir: “Data limite de inscrição: 3 de Dezembro. As inscrições serão aceites por ordem de chegada. Enviar ficha de inscrição com referência ao assunto:CFORÇA8”.

Ou seja, a informação, com todos os detalhes é publicada no dia 10, para uma actividade que terá lugar no dia 11, e indicando que o prazo limite para as inscrições…terminou uma semana antes.

Parece-vos lógico? A mim, não…

Há que ter algum cuidado como se apresenta a informação, já que este não é um caso isolado…

quinta-feira, 16 de dezembro de 2010

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Prémios IRB 2010

(foto: Daily Mail)

Na passada semana, o IRB divulgou os vencedores dos prémios anuais, atribuindo um hat-trick aos All Blacks. De notar que na sondagem lançada no Join the Maul, os leitores já tinham “atribuído” o prémio individual ao capitão neo-zelandês, demonstrando um bom conhecimento da modalidade:

- Equipa do ano: Nova Zelândia;
- Jogador do ano: Richie McCaw, Nova Zelândia;
- Treinador do ano: Graham Henry, Nova Zelândia;
- Prémio Vernon Pugh: Jean-Claude Baqué, Presidente da Fira/Aer.

Já durante o ano, os seguintes prémios tinham sido também anunciados:
- Jogador de Sevens do ano: Mikaele Pesamino, Samoa;
- Prémio para o Desenvolvimento: Brian O’Shea;
- Prémio para árbitro por bons serviços prestados: Colin High;
- Prémio “Espírito do Rugby”: Virreyes Rugby Club de Buenos Aires, Argentina.

Na sequência destes prémios, eu gostaria de lançar um desafio: tendo em conta o excelente trabalho desenvolvido e as características particulares que envolvem o projecto, penso que não seria totalmente desprovido de senso apresentar (desconheço o procedimento a seguir) a Escolinha de Rugby da Galiza ao prémio “Espírito do Rugby”. Um assunto a rever, quiçá?

Canadá - Namíbia no Mundial de 1999

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

sábado, 4 de dezembro de 2010

Sevens do Dubai acabam para Portugal


Portugal perdeu 19-12 contra o Quénia e diz adeus ao torneio depois de um 2° dia manifestamente decepcionante.

Ursos batem Portugal


Depois de um 1° dia de grande nível Portugal começou o 2° dia com o "pé esquerdo" e perdeu face à Rússia por 7-10 e vai defrontar o Quénia nas 1/2 finais da Shield.

Roménia - Rússia - apuramento para o Camp. do Mundo 2007

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Portugal em grande mas infeliz nas contas


Foi um grande dia para Portugal mas com um desfecho inglório.

Portugal perdeu o jogo inicial contra Fiji por 31-7 o que nem é um resultado muito desnivelado em comparação com outros embates recentes entre ambos. Diz quem viu o jogo que o resultado não espelha o equilíbrio que existiu. O pior viria mais tarde quando este resultado se mostrou decisivo para as contas do grupo.

Depois da excepcional vitória contra a Inglaterra e a confirmação frente à França, todos esperávamos que Fiji vencesse a Inglaterra e Portugal confirmasse o 2° lugar do grupo. Sucede que os ingleses marcaram um ensaio aos 8m54s do 2° tempo e venceram Fiji.

A consequência é que por força do desempate no saldo de pontos marcados-sofridos, Portugal foi a pior das 3 e vê-se assim relegado para a disputa dos 1/4 de final da Bowl quando merecia outra recompensa pelos resultados obtidos.

Assim, amanhã o 1° adversário do dia é a nossa bem conhecida Rússia. Se tudo correr bem, como desejamos, poderemos defrontar Argentina ou Quénia (provavelmente as duas mais fortes equipas da metade de baixo).

É importante não esmorecer com a má sorte de hoje. manter a competitividade, a concentração e a humildade...hoje mostrámos do que somos capazes...amanhã vamos continuar no mesmo caminho e, quem sabe, conquistar a Bowl.

Força malta!!! Vamos a eles que nem Lobos...


Portugal vence França


Boas notícias: com mais 3 ensaios de Frederico Oliveira e 1 de Pedro Leal (e 3 conversões deste) Portugal vence e convence a França por 26-14.

Agora resta-nos esperar que fijianos e ingleses não façam "marosca" para nos tirar dos 8 primeiros do torneio.


Em breve saberemos com quem jogaremos no 2º dia do torneio.

Para já um grande destaque para os 5 ensaios de Frederico Oliveira e a pontaria acertada (quase a 100%) de Pedro Leal nas conversões.

Portugal já faz história no Dubai


Portugal venceu a Inglaterra por 14-12 no 2º jogo da fase de grupos do Dubai Sevens. A vitória, que se seguiu a uma derrota por 31-7 contra Fiji, é a 1ª de sempre que o 7 nacional consegue contra a turma da "Velha Albion".

A vitória foi conseguida graças a dois ensaios de Frederico Oliveira, convertidos por Pedro "Pipoca" Leal (mostrando mais uma vez a importância das conversões).

O 3º jogo de Portugal realizar-se-á durante a tarde face à França, que perdeu os dois primeiros jogos. Se Portugal vencer é certo que (se nada de anormal se passar no Fiji-Inglaterra) lutará pelas taças do quadro superior e somará pontos no Circuito.

Mas é preciso manter a concentração e a humildade...esperemos que mais logo possamos partilhar convosco boas notícias.

quinta-feira, 2 de dezembro de 2010